Inimiga ou aliada? Quem é sua pior inimiga ou sua melhor amiga?

inimiga ou aliada

 

Inimiga ou aliada? Quem é sua maior aliada e sua pior inimiga?

Gostaria de te propor a reflexão sobre quem é sua maior aliada e quem é sua pior inimiga na busca do homem certo para casar.

Você já parou para pensar nisso? Se ainda não pensou, recomendo que pare agora e identifique essas pessoas pois elas têm um papel determinante no teu sucesso ou fracasso amoroso.
Com quem você mais pode contar na busca do amor? Quem mais te apoia e ajuda a ser feliz?

E quem você mais tem que temer nessa busca? Quem mais sabota suas ações te impedindo de encontrar o seu homem?

Provavelmente você identificou um parente ou amiga que pode ser sua grande aliada – ou obstáculo. A maioria das pessoas tem um melhor amigo – e também um pior inimigo.
E tendo identificado essas pessoas, o que você pode fazer para maximizar a ajuda que a tua melhor amiga te dá? E o que você pode fazer para minimizar tudo o que o teu pior inimigo faz contra você?

Mas hoje eu quero te mostrar quem é REALMENTE sua maior aliada e sua pior inimiga.

 

Pela minha experiência de consultor de relacionamento nos últimos 5 anos, posso te garantir que VOCÊ é sua maior aliada e sua pior inimiga.

 

Sim, é isso mesmo.

As crenças que você carrega podem te levar ao céu ou ao inferno.

 

inimiga ou aliada

 

Crenças são os pensamentos, emoções e expectativas que associamos às pessoas e aos fatos da vida e podem ser criados por experiências passadas bem ou mal sucedidas, por pensamentos coletivos, etc.

Seguem alguns exemplos de crenças:
• Encontrar o homem certo para casar vai ser fácil – ou impossível.
• Nenhum homem presta.
• Eu sou atraente – ou não.
• Eu mereço ser feliz com meu amor – ou mereço ficar sozinha.

São crenças fortalecedoras quando nos ajudam, ou limitantes, quando atrapalham de alcançar um determinado objetivo.

As crenças fortalecedoras são seus maiores aliados e as crenças limitantes são seus piores inimigos.

inimiga ou aliada

 

As crenças são muito poderosas pois nós acreditamos nelas (por isso são crenças!), independente de serem verdadeiras ou não, e agimos de acordo com elas. Por isso é dito que as crenças são profecias auto realizadoras: a gente realiza aquilo em que a gente acredita.

Uma situação envolvendo uma crença limitante: se você acredita que nenhum homem presta, quando sair para a balada, com certeza vai ficar reclamando o tempo todo dos homens que não prestam. O pior de tudo é que não recusará se relacionar com um homem que está buscando só relações passageiras pois, para você, todos os homens são assim, afinal nenhum homem presta.

Agora uma situação envolvendo uma crença positiva: se você acredita que é atraente e charmosa, não precisará se esforçar muito para encantar e seduzir os homens a sua volta. Você deve ter uma auto estima elevada e provavelmente agirá com naturalidade, simpatia e segurança quando for para a balada. Você vai escolher dentre os pretendentes aquele que você considera o melhor e não terá nenhum problema em dispensar aqueles que não se encaixam no seu perfil pois para você a fila anda rápido, afinal você é atraente.

As mulheres que possuem crença fortalecedora saem na frente e aquelas que possuem crenças limitantes precisam fazer um esforço a mais para vencer essa desvantagem.

O maior obstáculo em relação às crenças é identifica-las. Como confundimos as crenças com a realidade, consideramos que as coisas são assim porque são assim. Os homens não prestam porque os homens não prestam. Eu sou bonita e atraente porque sou bonita e atraente.

Para você identificar suas crenças, escreva uma lista com características a respeito de si mesma e dos homens em geral. Aquelas características positivas são crenças fortalecedoras e as características negativas são crenças limitantes.

O próximo passo é positivar as crenças limitantes. Mas isso fica para a próxima.

Gostou desse post? Deixe um comentário e compartilhe.